terça-feira, 12 de agosto de 2014

O começo do fim

Eu nem ia falar sobre isso, mas tenho lido e ouvido muita coisa que tem me deixado incomodado, desde torcedores até jornalistas e comentaristas país afora.

A atitude de alguns gremistas no último Grenal, celebrando a morte do Fernandão, foi vergonhosa e de maneira alguma aqueles que cantaram me representam ou representam a imensa maioria dos torcedores do Grêmio. Porém, o que vejo passado o lamentável episódio é uma frequente generalização. Lá no estádio eram 1.300 torcedores, entre eles pais, filhos, mulheres e crianças. Vocês acham mesmo que todos que lá estavam apoiaram tal atitude? Vocês acham que um pai com seu filho ao lado iria celebrar a morte de uma pessoa, seja ela quem fosse? Se você acredita nisso pare agora de ler este texto, volte pra sua toca, me exclua das suas redes sociais e passe bem.

Foram sim vários os que cantaram e não consigo imaginar como tiveram estômago para tanto. Poderiam até ter começado a cantar, motivados pela euforia do clássico ou pela rivalidade, mas assim que terminaram a frase pela primeira vez deveriam ter se tocado da monstruosidade e abandonado o coro. Foi triste e repulsivo, mas não se deve generalizar. Repito, a maioria dos gremistas ficou tão indignada quanto todos os colorados e demais admiradores do Fernandão ou de uma boa educação. Quando da morte, muitos foram ao Beira-Rio com camisas do Grêmio, muitos prestaram suas homenagens, inclusive o clube de forma oficial. Fato esse reconhecido pela esposa e filhos do jogador.

Nada justifica o que foi feito no último domingo. Fiquei com uma profunda vergonha, o que me fez pedir desculpas a amigos colorados que vieram falar comigo após o jogo. O futebol caminha para um lado sombrio e não vejo como evitar isso. Há anos estamos no caminho errado. Certamente muitos não irão lembrar do Dener, um jovem jogador do Grêmio que morreu sufocado pelo cinto de segurança em um acidente de carro. O ano era o de 1994 e o que fizeram os colorados? No Grenal seguinte levaram cintos de segurança ao estádio e vibraram com o ocorrido. Algo igualmente abominável. Não venho aqui lembrar disso para atenuar o recente erro dos que cantaram a morte do Fernandão, apenas quero lembrar que os torcedores fazem coisas absurdas não é de hoje e infelizmente continuarão fazendo.

Não se pode justificar um erro com outro. Se alguém erra, não me dá o direito de errar também, mas sim o direito de aprender e jamais repetir tal erro. Enfim, apenas peço que não generalizem e antes de atirarem pedras chequem se o telhado de vocês não é de vidro.

Um comentário:

Blog do Duarte disse...

Tu tava prevendo o futuro ? Comemorando a morte do Fernandão não esperava acho que nada diferente do que as atitudes racistas da, provável, mesma parte da torcida. É uma pena